Corpo estranho faringo-laríngeo como causa de disfonia

Autores

  • Alexandra Lopes Interna do Internato Complementar de ORL do Serviço de ORL do Centro Hospitalar de Lisboa - Zona Central (Hospital de São José), Portugal
  • André Amaral Interno do Internato Complementar de ORL do Hospital da Força Aérea, Portugal
  • Flávio de Sá Assistente Graduado de ORL do Centro Hospitalar de Lisboa - Zona Central (Hospital de Sao Jose), Portugal
  • Vítor de Sousa Assistente Graduado de ORL do Centro Hospitalar de Lisboa - Zona Central (Hospital de São José), Portugal
  • Luís Marques Pinto Assistente Graduado de ORL do Centro Hospitalar de Lisboa - Zona Central (Hospital de São José), Portugal
  • José Ezequiel Barros Director do Serviço de ORL do Centro Hospitalar de Lisboa - Zona Central (Hospital de São Jose), Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.38

Palavras-chave:

Corpo estranho, espinha, faringe, laringe, radiografia, tomografia computorizada, migração, complicações

Resumo

A ingestão acidental e a impactação de corpos estranhos na via aerodigestiva é uma urgência otorrinolaringológica comum. Nos adultos, as espinhas são os corpos estranhos mais frequentemente impactados. Uma anamnese e uma observação cuidadosas são de extrema importância. Os sintomas incluem odinofagia, disfagia, tosse persistente, alteração da voz, sialorreia e menos frequentemente uma complicação respiratória. As espinhas impactam mais frequentemente numa localização supra-hioideia. Locais menos frequentes de impactação são a hipotaringe, a região cricofaríngea e o esófago, sendo o diagnostico mais difícil a estes níveis. A migração extra-luminal ocorre raramente, sendo mais frequente na presença de uma espinha. Atendendo a sua forma, este é o corpo estranho que mais facilmente migra e como tal, é o que apresenta maior taxa de complicações. Nesta situação, é necessário um elevado lndice de suspeição, sendo a realização de TC fundamental. Os autores apresentam um caso de migração de uma espinha ao nível da banda ventricular laringea e um algoritmo para o diagnóstico e tratamento de corpos estranhos perfurantes e migrantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Como Citar

Lopes, A., Amaral, A., de Sá, F., de Sousa, V., Pinto, L. M., & Barros, J. E. (1). Corpo estranho faringo-laríngeo como causa de disfonia. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 47(1), 48-53. https://doi.org/10.34631/sporl.38

Edição

Secção

Caso Clínico

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)