Efeitos do tabaco na timpanoplastia

Autores

  • Andreia Ribeiro Interna Complementar do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Portugal
  • Nuno Oliveira Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Portugal
  • Marta Pereira Serviço de Higiene e Epidemiologia, Faculdade de Medicina, Universidade do Porto Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, Portugal
  • Sara Cruz Interna Complementar do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Portugal
  • Nuno Costa Interna Complementar do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Portugal
  • Gustavo Lopes Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Portugal
  • Abílio Leonardo Assistente Hospitalar Graduado do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano - E.P.E., Portugal
  • Manuel Rodrigues e Rodrigues Director de Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.21

Palavras-chave:

Timpanoplastia, Tabaco, Perfuração

Resumo

Objectivos: O objectivo deste estudo é relacionar o fumo do tabaco com a falha do enxerto e também com o resultado audiométrico na população em estudo.

Material e Métodos: Revisão retrospectiva de processos clínicos de doentes submetidos a Timpanoplastia tipo I ou miringoplastia, entre Julho 2003 a Dezembro 2006.

Resultados: Dos 176 procedimentos, 19,53% dos não fumadores reperfuraram e 22,92% dos fumadores reperfuraram. A média das diferenças entre o SRT pré e pós operatório foi de 13,17 dB nos não fumadores e 12,79 dB nos fumadores. A média das diferenças entre o ABG pré e pós-operatório foi de 12,02 nos não fumadores e 12,41 nos fumadores. Nenhuma destas diferenças foi estatisticamente significativa.

Conclusões: Até à data, não houve nenhum estudo definitivo sobre o papel do tabaco nas timpanoplastias no entanto alguns estudos demonstraram piores resultados nos doentes fumadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Kaylie DM, Bennett ML, Davis B, Jackson CG. Effects of Smoking on Otologic Surgery Outcomes. Laryngoscope. 2009 July; 119: 1384-90

Yilmaz G, Caylan ND, Karacan CD. Effects of Active and Passive Smoking on Ear Infections. Curr Infect Dis Rep. 2012 February.

Becvarovski Z, Kartush JM. Smoking and Tympanoplasty: Implictions for Prognosis and the Middle Ear Risk Index (MERI). Laryngoscope. 2001 October. 111: 1806-11

Uguz MZ, Onal K, Kazikdas KC, Onal A. The Influence of Smoking on Success of Tympanoplasty measured by Serum Cotinine Analysis. Eur Arch Otorhinolaryngol. 2008. 265: 513-16

Lin Y, Wang W, Weng H, Lin Y. Predictors of Surgical and Hearing Long-term results for Inlay Cartilage Tympanoplasty. Arch Otolaryngol Head Neck Surg. 2011 Mar. 137: 215-219

Como Citar

Ribeiro, A., Oliveira, N., Pereira, M., Cruz, S., Costa, N., Lopes, G., Leonardo, A., & Rodrigues e Rodrigues, M. (1). Efeitos do tabaco na timpanoplastia. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 51(2), 113-116. https://doi.org/10.34631/sporl.21

Edição

Secção

Artigo de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 > >>