Surdez neuro-sensorial súbita idiopática - Resultados após 3 anos de implementação de protocolo terapêutico

Autores

  • João Diogo Martins Interno do Internato Complementar do Serviço de ORL do Hospital São Sebastião, Santa Maria da Feira, Portugal
  • Vítor Certal Interno do Internato Complementar do Serviço de ORL do Hospital São Sebastião, Santa Maria da Feira, Portugal
  • Tiago Santos Interno do Internato Complementar do Serviço de ORL do Hospital São Sebastião, Santa Maria da Feira, Portugal
  • Hélder Silva Assistente Hospitalar do Serviço de ORL do Hospital São Sebastião, Santa Maria da Feira, Portugal
  • Hugo Amorim Assistente Hospitalar do Serviço de ORL do Hospital São Sebastião, Santa Maria da Feira, Portugal
  • Carlos Carvalho Director de Serviço de ORL do Hospital São Sebastião, Santa Maria da Feira, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.197

Palavras-chave:

surdez, neuro-sensorial, súbita, idiopática, corticóide, pentoxifilina, valaciclovir, oxigénio hiperbárico

Resumo

Introdução: A surdez neuro-sensorial súbita idiopática (SNSSI) é um diagnóstico clínico, caracterizado por uma perda auditiva neuro-sensorial superior ou igual a 30 dB em três frequências contíguas, de instalação súbita ou progressiva num período inferior a 72h.

Este trabalho pretende avaliar os resultados do protocolo terapêutico instituído no Serviço de ORL do Hospital de São Sebastião na recuperação auditiva (média tonal em dB).

Material e Métodos: Estudo retrospectivo, através de análise de processos clínicos, dos doentes com diagnóstico de surdez neuro-sensorial súbita idiopática entre Janeiro de 2008 e Dezembro de 2010 (3 anos), que realizaram o protocolo terapêutico do Serviço de ORL do Hospital de S. Sebastião (Centro Hospitalar Entre o Douro e Vouga). Foram excluídos os doentes que realizaram tratamento em ambulatório por opção ou por apresentarem uma evolução do quadro clínico superior a quinze dias. Os doentes estudados foram internados para realização de terapêutica endovenosa com prednisolona, pentoxifilina e valaciclovir. Por não ter ocorrido a melhoria auditiva satisfatória ao fim de 5 dias de tratamento endovenoso, foi proposta a todos os doentes a subsequente realização de oxigenoterapia hiperbárica, iniciada, preferencialmente, no prazo de uma semana após a alta hospitalar.

Resultados: Foi colhida informação de 11 doentes, 6 do sexo masculino e 5 do sexo feminino, com uma média de idades de 51,1 anos (39-63 anos). Todos os doentes apresentavam como sintoma acompanhante acufenos homolaterais e cinco doentes (45,5%) apresentavam também queixas de vertigem. A média tonal (média dos limiares tonais nas frequências 500, 1000, 2000 e 4000 Hz) no momento do diagnóstico foi de 82 dB. A oxigenoterapia hiperbárica foi realizada em sete doentes, tendo os restantes recusado esta terapêutica. Após a realização do protocolo terapêutico a média tonal foi de 50 dB (15-107,5dB), com uma melhoria tonal média de 32,6 dB (0-85dB). Em dois doentes (18%) não houve melhoria audiométrica após realização do protocolo terapêutico. Houve uma melhoria audiométrica significativa (superior ou igual a 20dB) em quatro dos doentes (57%) que realizaram oxigenoterapia hiperbárica.

Conclusão: Apesar das melhorias auditivas observadas nesta revisão, os resultados são ainda insuficientes, ficando por determinar qual o tratamento mais eficaz. Apesar da amostra do estudo ser pequena e sem significado estatístico, parecenos que a oxigenoterapia hiperbárica é uma opção terapêutica que deve continuar ser oferecida aos doentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fetterman BL, Saunders JE, Luxford WM. Prognosis and Treatment of sudden sensorineural hearing loss. Am J Otol 1996; 17:529-536

Byl FM Jr. Sudden hearing loss: eight years’ experience and suggested prognostic table. Laryngoscope 1984; 94:647-661

Hughes GB, Freedman MA, Haberkamp TJ, Guay ME. Sudden sensorineural hearing loss. Otolaryngol Clin N Am 1996; 29(3):394-

Formigoni LG, Santos Junior RC, Granizo ACS, Nascimento EV, et al. Tratamento da Surdez Súbita: Experiência do Serviço de Otoneurologia

do HC FMUSP. Rev Bras Otorrinolaringol 1998; 64(4):329-334

Nakashima T, Yanagita N. Outcome of sudden deafness with and without vertigo. Laryngoscope 1993; 103:1145-1149

Shaia FT, Sheehy JL. Sudden sensori-neural hearing impairment: a report of 1,220 cases. Laryngoscope 1976; 86:389-398

Ohinata Y, Makimoto K, Kawakami M, Takahashi H. Blood viscosity and plasma viscosity in patients with sudden deafness. Acta

Otolaryngol 1994; 114(6):601-607

Cox AJ, Sargent EW. Sudden sensorineural hearing loss following nonotologic noncardiopulmonary bypass surgery. Arch Otolaryngol

Head Neck Surg 1997; 123(9):994-998

Wilson WR, Veltri RW, Laird N, Sprinkle PM. Viral and epidemiological studies of idiopathic sudden hearing loss. Otolaryngol Head Neck Surg

; 91:653-658

Wilson WR. The relationship of herpesvirus family to sudden hearing loss: a prospective clinical study and literature review.

Laryngoscope 1986; 96:870-877

Jaffer BF. Viral causes of sudden inner ear deafness. Otolaryngol Clin N Am 1978;11:63-69

Rowson KE, Hinchecliffe R. A virological and epidemiological study of patients with acute hearing loss. Lancet 1975;1:471-473

Heller U, Becker EW, Zenner HP, Berg PA. Incidence and clinical relevance of antibodies to phospholipids serotonin and ganglioside in

patients with sudden deafness and progressive inner ear hearing loss. HNO. 1998 Jun;46(6):583-6

Garcia-Berrocal JR, Vargas JA, Ramirez-Camacho RA, Gonzalez FM et al. Deficiency of naive T cells in patients with sudden deafness. Arch

Otolaryngol Head Neck Surg. 1997; 123(7):712-717

Gussen R. Sudden hearing loss associated with cochlear membrane rupture. Arch Otolaryngol 1981; 107:598-600

Mattox DE, Simmons FB. Natural history of sudden sensorineural hearing loss. Ann Otol Rhinol Laryngol 1977;86:463-480

Wilson WR, Byl FM, Laird N. The efficacy of steroids in the treatment of idiopathic sudden hearing loss: a double blind clinical

study. Arch Otolaryngol 1980;106:772-776

Parnes LS, Sun AH, Freeman DJ. Corticosteroid pharmacokinetics in the inner ear fluids: an animal study followed by clinical application.

Laryngoscope 1999; 109:1-17

Wei BPC, Mubiru S, O’Leary S. Steroids for idiopathic sensorineural hearing loss (review). The Cochrane Library 2009; Issue 4

Fattori B, Berrettini S, Casani A, Nacci A et al. Sudden hypoacusis treated with hyperbaric oxygen therapy: a controlled study. Ear Nose

Throat J. 2001; 80:655-660

Aslan I, Oysu C, Veyseller B, Baserer N. Does the addition of hyperbaric oxygen therapy to the conventional treatment modalities

influence the outcome of sudden deafness? Otolaryngol Head Neck Surg 2002; 126:121-126

Oliveira N, Neves M, Duarte D, Fernandes T et al. Oxigenoterapia hiperbárica no tratamento da surdez súbita idiopática. Rev Port ORL

; 47(4):197-202

Gianoli Gj, Li JC. Transtympanic steroids for treatment of sudden hearing loss. Otoloaryngol Head Neck Surg 2001; 125:142-146

Banerjee A, Parnes LS. Intratympanic corticosteroids for sudden idiopathic sensorineural hearing loss. Otol Neurotol 2005; 26:878-881

Ho HG, Lin HC, Shu MT, Yang CC et al. Effectiveness of intratympanic dexamethasone injection in sudden-deafness patients as salvage

treatment. Laryngoscope 2004; 114:1184-1189

Choung YH, Park K, Shin YR, Cho MJ. Intratympanic dexamethasone injection for refractory sudden sensorineural hearing loss.

Laryngoscope 2006; 116:747-752

Haynes DS, O’Malley M, Cohen S, Watford K et al. Intratympanic dexamethasone for sudden sensorineural hearing loss after failure of

systemic therapy. Laryngoscope 2007; 117:3-15

Como Citar

Martins, J. D., Certal, V., Santos, T., Silva, H., Amorim, H., & Carvalho, C. (1). Surdez neuro-sensorial súbita idiopática - Resultados após 3 anos de implementação de protocolo terapêutico. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 49(4), 261-265. https://doi.org/10.34631/sporl.197

Edição

Secção

Artigo de Revisão