Papel da TC nas decisões terapêuticas nos carcinomas da laringe/hipofaringe

Autores

  • Andreia Ribeiro Interna Complementar do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Senhora da Hora, Portugal
  • Gustavo Lopes Assistente Hospitalar de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Senhora da Hora, Portugal
  • Marta Pereira Serviço de Higiene e Epidemiologia, Faculdade de Medicina, Universidade do Porto; Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, Senhora da Hora, Portugal
  • Sara Cruz Interna Complementar do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Senhora da Hora, Portugal
  • Abílio Leonardo Assistente Hospitalar Graduado do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Senhora da Hora, Portugal
  • Manuel Rodrigues e Rodrigues Director de Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Pedro Hispano-E.P.E., Senhora da Hora, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.190

Palavras-chave:

Carcinoma da Laringe, Dissecção cervical, Tomografia computorizada, Estadiamento

Resumo

Objectivos: A presença de adenopatias pode ser avaliada clinicamente e imagiologicamente. O objectivo é avaliar se a Tomografia Computorizada (TC) nos dá informação adicional que possa influenciar as decisões terapêuticas.

Material e Métodos: Revisão retrospectiva dos processos de doentes submetidos a cirurgia laríngea com esvaziamento cervical por neoplasia maligna entre Maio de 2001 e Dezembro de 2010.

Resultados: Dos 31 doentes N0 clínicos e imagiológicos, em 26 confirmou-se o estadiamento N0 pela anatomopatologia (83,9%) e 5 casos apresentaram gânglios metastizados (16,1%). Em 3 doentes N0 clínicos e N>0 imagiológicos em 2 (66,7%) confirmou-se por anatomia patológica a presença de adenopatias.

Dos 6 doentes clínicamente N>0, a TC estadiou como N>0 5 doentes que se confirmaram serem N>0 por anatomopatologia (100%). A TC apresentou sensibilidade, valor preditivo positivo e valor preditivo negativo superiores à clínica.

Conclusão: A TC aparentemente melhora os valores preditivos na detecção de metástases cervicais, mas a percentagem não desprezável de metástases cervicais ocultas impõe a dissecção cervical nos pescoços N0.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Connor S. Laryngeal Cancer: How Does The Radiologist Help? Cancer Imaging 2007; 7: 93-103.

Hermans R. Staging of Laryngeal and Hypopharyngeal Cancer: Value of Imaging Studies. European Radiology 2006;16: 2386-2400.

Zbaren P, Becker M, Lang H. Pretherapeutic Staging of Laryngeal Carcinoma. American Cancer Society 1996; 1263-1273.

Blitz AM, Aygun N. Radiologic Evaluation of Larynx Cancer. Otolaryngologic Clinics of North America 2008; 697-713.

Deschler DG, Day T. TNM Staging of Head and Neck Cancer and Neck Dissection Classification. American Academy of Otolaryngology – Head and Neck Surgery Foundation 2008; 10-23.

Ferlito A, Silver CE, Rinaldo A. Selective Neck Dissection (IIA, III): A Rational Replacement for Complete Functional Neck Dissection in Patients With N0 Supraglottic and Glottic Squamous Carcinoma. The Laryngoscope 2008; 118:676-679.

Mnejjaa M, Hammamia B, Bougachaa L, Chakrouna A, et al. Occult Lymph Node Metastasis in Laryngeal Squamous Cell Carcinoma: Therapeutic and Prognostic Impact. European Annals of Otorhinolaryngology, Head and Neck diseases 2010; 127: 173-176.

Gallo O, Boddi V, Bottai GV, Parrella F, et al. Treatment of the Clinically Negative Neck in Laryngeal Cancer Patients. Head & Neck 1996; 566-572.

Como Citar

Ribeiro, A., Lopes, G., Pereira, M., Cruz, S., Leonardo, A., & Rodrigues e Rodrigues, M. (1). Papel da TC nas decisões terapêuticas nos carcinomas da laringe/hipofaringe. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 49(4), 217-221. https://doi.org/10.34631/sporl.190

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 > >>